terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Crônica de um sedento por erupção cultural


MI DEZIRAS UNU PAPERO KAJ UNU PLUMO*

Pode soar um tanto quanto arrogante, mas acho que fiz minha “própria educação”. É claro que meus familiares tiveram 50% de participação, pelo menos é o que acho.
Life is a game that in the end everybody will die. Brazilian youth need more bohemia and creatived soul. Just realize, most of cultural movement were made/built about bohemia and renovation**. Não seja apenas artista, seja artista no topo da cadeia alimentar, na cadeira de diretor de grandes empresas.
Toda essa juventude dispersa, me dá agonia. Me preocupo com os jovens e me preocupo com o fato de que quase todos desperdiçam suas chamas criadoras; uns sendo uns babacas antiquados quadrados(perdoe-me a redundância), uns sendo criminosos, outros sendo uns tipo “playboys” que só querem baladas e mais nada, apesar de que a idéia de curtir cada minuto de florescência é uma boa idéia, mas não basta!
Quando olho para o lado não vejo nenhum João Gilberto, não vejo nenhum David Bowie...não quero com este texto florear muito em palavras e devaneios, embora usarei deles por inspiração (e ferramenta). Quero ser direto! Quero a juventude boêmia e criativa, simples assim. Cheia de personalidade forte e grandes desejos, grandes tragédias, grandes comédias, grandes composições, grandes livros, esculturas, pinturas, ou seja, quero uma explosão da criatividade em todos as expressões artísticas.
Seja subversivo! Incorpore Hermes, incorpore Dionísio.
Os anos 60, os anos 70 estão de volta! Transborde, “supere seus pais”, vença a sociedade. Explore! Se isso é um mundo de provas e expiações, não passe em branco, não fique louco para sair sem deixar algo de proveitoso, algo de positivo. Melhore o “inferno”! Para os próximos que virão, para seu próprio orgulho e deleite.
Seja, faça, tenha, crie, mude; tudo ao mesmo tempo e agora!
Gosto dessa palavra: AGORA. O bom é que nunca passa!
E para aqueles que não lêem vai aqui uma dica: Lê algo subversivo...e não é difícil de achar, pelo contrário. Nos livros estão escritos todos os segredos que não podem passar na televisão! Lê, absorve, antropofagie e crie!
Make yourself the Revolution!***

*Desejo um papel e uma caneta (em Esperanto)
**A Vida é um jogo em que no final todo mundo vai morrer. A juventude brasileira precisa de uma alma mais boemia e criativa. Apenas imagine, a maioria dos movimentos culturais foram feitos/construídos sobre boemia e renovação.
***Faça você mesmo a Revolução.

Sugetões Literárias:
Assim falava Zaratustra – F. Nietzsche
A Gaia Ciência - F. Nietzsche
Humano Demasiado Humano - F. Nietzsche
Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley
1984 – George Orwell
A Revolução dos Bichos – George Orwell
On The Road – Jack Kerouac

Autor Humberto Lacerda Brum
Co - Part. Prof. Gelson Araújo
Prof. João Paulo de S. Andrade

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Onde estão os sonhadores e os lutadores que moveram gerações? Épocas de profundas revoluções que hoje se encontram estéreis. Saudosismo? Talvez.

    Contudo, prefiro apreciar o que de inspirador há à nossa volta no HOJE. Gostei quando falaram: "Gosto dessa palavra: AGORA. O bom é que nunca passa!" Acho que é o que busco de certa forma pensar para não me paralisar ou, até mesmo, me acomodar.

    Concordo que o que há de bom raramente faz parte do TODO no HOJE, como por diversas vezes, aconteceu nos mais distintos contextos, das décadas de 50 a 90, seja no meio nacional ou no internacional, passando pelos movimentos do rock, contracultura, hippie, progressivo, psicodélico, pop, bossa nova, tropicália, grunge. Movimentos que desbravaram e ousaram comportamentos e atitudes nos mais diversos campos. Infelizmetne, HOJE o TODO está muito ruim, superficial e banalizado. Mas não quer dizer que o que é BOM não está aí.

    O fato é que não precisamos de GRANDES revoluções para que o mundo seja melhor ou mais poético. Pequenos atos no nosso dia pode gerar transformações tão belas quanto o livro 1984 de George Orwell significou para algumas das belas composições de David Bowie, assim, como inspira e instiga tantos até hoje.

    É claro que, talvez, estes pequenos atos não tragam repercussão em larga escala, mas se já houver em um coraçãozinho, já valeu toda a pena! E se não chegar a nenhum, por quê se apegar a isso? O que importa é o que foi feito, de forma despretensiosa ou não, mas com sinceridade e amor, e às vezes, somos surpreendidos com essas sementinhas que jogamos e sem sabermos foi plantada por alguém.

    Podem me chamar de louca, mas que venham inspirar-me cada vez mais Amarantos, Los Hermanos, Cold Plays, Titanes, Éricas Machado, Vanessas da Mata, Pedras Letícia, Cartoons, Dannis Carlos, Thespians, Marinas Machado, The Moldys Peaches, Mallus Magalhães, Cálix,Nellys Furtado,Zecas Balera, Luizes Roberto Mee,Markus Zusaks, Elizabeths Kostova, Orhans Pamuk, Adélias Prados, entre tantos outros contemporâneos semeadores.

    Parabéns pelo blog de vocês! Bela iniciativa! Já estão no meu cantinho!

    ResponderExcluir